quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Quinta.

Ela quer que eu ganhe e minta, me fez falta. . . No futebol de quinta, ela nunca deixou de ir na yoga de terça. . .

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Criou uma atmosfera diferente, não parecia ser mais igual,

Antes de acontecer veio como um sonho bom, antes que a

Razão entrasse em campo, meu ser foi tomado por um

Lenitivo milagroso que até o momento continua como um mar calmo,

Agora o teu ombro é meu remanso e dele não quero sair.

Creio que hoje, nada me remete a medo,

Algumas palavras me foram ditas,

Resta agora saber o que vai acontecer, quero

Outorgar tudo que vejo de belo,

Lerdo sou, por não ver o futuro com um olhar

Intrigante e observador, que você me fez ter de volta,

Não quero ter pressa, mas também não quero ir devagar,

Ah, é bom saber dosar tudo, pois tudo em excesso é veneno.



09:25 - 20/08/2010.



Post duplo, para o dia que não teve noite...

Final Ponto.

Uma vontade de chorar,

Um peito pesado,

Umas memórias que estão no passado,

Não quero tirar elas de lá. Hoje prefiro que apodreçam junto com aquele chá que hoje já me enjoa tanto, não lembro se é o de camomila ou de alecrim, talvez seja cedro ou capim santo, não seria erva doce? Não lembro! Mas, foi bem na hora que tomava um chá antes de um ensaio qualquer, que me veio à constatação. Silencio doe mais que palavras e olhe que estou falando de palavras cortantes, ásperas e frias, delicadas e sofridas. E esse é o fim de um novo começo. Seu filho ainda continua vivo, e hoje bem mais perigoso.


10:25 - 25/08/2010